MATÉRIAS DA FIC FRIO

 

 

PROCESSO DE SOLDA

Tecnologia proporciona rapidez no fechamento de compressores

A Tecumseh alia capacitação e tecnologia em suas fábricas. Exemplo disso é o processo de solda dos compressores: para que apresentem estanqueidade absoluta, a Tecumseh tem capacidade instalada para efetuar a solda de fechamento em mais de 50 mil compressores diariamente. Isso seria o equivalente a soldar 25 quilômetros em linha reta a cada dia.

Envolvendo equipamentos e estrutura específicos, tecnologia sincronizada, controle rígido e qualificação profissional, a solda de cada compressor é concluída em poucos segundos.

 

O processo de soldagem


Na etapa anterior à solda, no setor de montagem, a carcaça do compressor recebe o conjunto eletromecânico que será disposto em seu interior e, em seguida, a tampa do compressor é posicionada na carcaça para o fechamento do conjunto, com encaixe do tipo telescópico.

A operação de fechamento do conjunto é iniciada com a movimentação dos compressores, através de linhas automáticas, em direção à estação de solda. Com a parada do pallet na estação prévia, um robô que possui duas posições de garras recebe o sinal eletroeletrônico e, de forma sincronizada, pega o compressor, movimentando-o até a máquina de solda. Após a conclusão, o compressor já soldado é transportado pelo mesmo dispositivo, pela outra posição de garra, e então o ciclo se inicia novamente – e é realizado, em média, 300 vezes por hora em cada célula de trabalho.

A Tecumseh optou pela robotização desse posto de trabalho por se tratar de uma operação que apresentaria condições desfavoráveis e exigiria muito esforço humano. Dessa forma, dois robôs trabalham de forma sincronizada dentro de cada célula, que é totalmente isolada do meio externo.

A solda

O método de soldagem utilizado pela Tecumseh do Brasil é conhecido como MAG (metal active gas, do inglês), processo por arco elétrico entre o compressor e o arame. O arco elétrico, popularmente conhecido como curto-circuito, produz uma corrente que funde continuamente o arame à medida que é criada uma poça de fusão, e assim realiza a união das partes.

Durante todo o processo, uma atmosfera gasosa protetora é criada por meio da injeção constante de gás, aplicada em uma taxa de vazão no momento da solda. A mistura do gás argônio (Ar) com dióxido de carbono (CO2) proporciona melhores condições para o processo de fusão do arame, evitando a formação de respingos, reduzindo drasticamente a possibilidade de porosidades e permitindo boa penetração da solda.

Com o uso desta mistura gasosa, é possível realizar a transferência do arame consumível para o compressor por spray, o que confere elevadas taxas de deposição do arame de solda e, consequentemente, produtividade elevada.

 

Componentes essenciais para a solda

Para que a solda apresente boa qualidade, alguns componentes são essenciais no processo:

  • Fonte de energia de corrente contínua (CC+): a tensão que a fonte aplica determina o comprimento do arco elétrico. Por isso, uma fonte de boa qualidade deve ser empregada, ou seja, deve apresentar retificador de corrente contínua de potencial constante, curva variável e controle de indutância. Além disso, o controle de alimentação do arame consumível deve estar intrinsicamente ajustado na fonte.
  • Arame consumível: em combinação com o gás de proteção, o arame produzirá o depósito químico que determinará as características físicas e mecânicas da solda. A American Welding Society (AWS) determina a composição química dos vários tipos de arames de aço carbono, segundo a especificação A5.18.
  • Dispositivo para fixação do compressor: o dispositivo que fixa e gira o compressor durante a solda deve apresentar excelente robustez e não pode apresentar folgas. Dele dependerá o sincronismo da solda com o movimento da tocha, quando o arame é aplicado juntamente com a mistura de gás.
  • Robô de manipulação do compressor e tocha de solda: para não comprometer a operação, o robô de manipulação deve trabalhar sincronizado com a linha paletizada e com os dispositivos de fixação do compressor.

Conclusão do processo


Testes de qualidade finalizam o processo de solda. Dois tipos de testes de vazamento são realizados: em um deles, os compressores são pressurizados com ar seco, submersos em uma banheira de água e inspecionados visualmente – bolhas de ar indicam vazamento; já no processo automático de checagem, gás hélio é injetado no compressor, que está dentro de uma câmara hermética, e o detector de gás hélio indica se existem microvazamentos.

Além desses testes de estanqueidade, a solda ainda deve passar por testes hidrostáticos. Os compressores devem suportar pressão hidrostática que atenda aos requisitos dos laboratórios de certificações internacionais – compressores de mecanismos alternativos e rotativos devem suportar, por pelo menos um minuto, pressão de 1.000 psig (69 bar) e de 3.250 psig (224 bar), respectivamente.
 


 

O ACERVO COMPLETO DA FIC FRIO EM UM SÓ LUGAR

Você acompanha todas as matérias da Fic Frio? Aproveite gratuitamente todo o acervo de textos produzidos pela revista desde 2010.

São mais de 20 edições e também números especiais.

Pesquisar matérias:


No final desta página, você pode pesquisar as diversas matérias das revistas pelo ano ou por edição. Confira logo abaixo.